Objetos do Brasil: o Programa Sílvio Santos


O Programa Sílvio Santos assenta num pressuposto curioso, que também já justificou coisas em Portugal como o “Agora ou Nunca”: toda a gente quer dinheiro e está disposta a tudo para o conseguir. No entanto, ele fá-lo da forma mais despudorada que alguma vez se viu:
SÍLVIO SANTOS – Quem quer dinheirooooo?
AUDIÊNCIA COMPOSTA INTEIRAMENTE POR MULHERES – Eeeeeeeeeeeeeu!
SÍLVIO SANTOS – Quem quer dinheiroooooooooooooooooo?!
AUDIÊNCIA COMPOSTA INTEIRAMENTE POR MULHERES – Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeu!


Enquanto grita estas palavras de ordem, Sílvio Santos vai percorrendo à sua vontade um corredor entre duas colunas de espectadoras que parecem mais selvagens do que qualquer audiência que a Oprah consiga angariar. Quando quer perguntar alguma coisa a alguém, ele escolhe a pessoa que mais lhe agrada no momento. Há sempre um microfone a aparecer-lhe miraculosamente na mão, que ele aponta só para a interlocutora – sim, porque ele tem um microfone só para ele, que traz sempre fixo e em riste por baixo do pescoço, preso com uma coisa metálica que, por esta altura, já lhe deve entrar pela pele adentro. Se ELE OPINAR que a resposta da mulher está certa (e basta OPINAR, mas tem que ser ELE), tira um maço de notas do casaco e dá-lho. Sílvio Santos tem os bolsos mais bem recheados de toda a televisão mundal, mas nunca ganhar dinheiro foi tão humilhante em toda a história das atividades económicas. Ele ri-se e troça da ignorância das concorrentes de ocasião e, com requintes de crueldade próprios de um padastro num conto de fadas, ele humilha a Maísa, uma criança que se tornou uma figura televisiva precisamente por ser humilhada por ele e, de vez em quando, replicar (se bem que isso só sirva para que ele a humilhe mais um pouco).

No Programa Sílvio Santos, a audiência aplaude vídeos com homens a assobiar, anúncios de produtos de maquilhagem produzidos pelo próprio Sílvio Santos, travestis a cantar e desfilar, dinheiro, dinheiro e dinheiro. É um momento televisivo em que tudo pode acontecer, porque, desde que cumpra os requisitos de beleza e/ou de riqueza, nada é de tão mau gosto que nele não se possa ver. É pura poesia pop, arte contemporânea trash, um programa “larger than life” que ultrapassará sempre qualquer ficção imaginável. E, além disso, contém um subtexto sexual intrigante: Sílvio Santos, um homem de microfone em riste, a atirar maços de dinheiro ao calhas para uma audiência de mulheres ávidas, que se atropelam e empurram para conseguirem pagar as compras da semana. Ou seja, Sílvio Santos conseguiu o que muita gente sonhou e não alcançou: ele ejacula dinheiro. E, no final, ainda se ri. Com dentes cirurgicamente brancos, evidentemente.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s