A morte de Bernardo Sassetti


O que é ser uma figura pública? A morte de Bernardo Sassetti, 41 anos, faz-me pensar nisso. Ele não seria alguém que se dissesse extremamente conhecido, apesar de que qualquer pessoa lhe conhecesse o nome de algum lugar. Mas então eu lembro-me de quando trabalhei na loja que a Trem Azul teve em Coimbra. Numa tarde de Junho, entrou um casal holandês. Queriam discos de pianistas portugueses e mostrei-lhes vários do Sassetti. Quando a música do filme Alice começou a tocar e aqueles acordes soltos e profundos de piano se fizeram ouvir, um alfinete não poderia cair sem quebrar o momento. Era como se o ar quente, a tarde, os ruídos todos da baixa se enfunilassem e desaparecessem até que aqueles segundos não fossem mais do que aquele som que tocou algo em todas as pessoas que estavam naquela sala. Fiquei calado, só podia ficar calado, como se estivesse numa igreja. Olhei para os turistas. Estavam de olhos fechados, respirando profundamente, evitando sentir algo mais que não fosse a música. E hoje eu entendo: Sassetti era uma figura pública porque, de alguma forma, ele esteve presente dessa forma significativa na vida de milhares de pessoas, emocionando-as – e não só comovendo-as: não esquecer que ele já participava em discos de jazz bem swingado desde adolescente – com a sua música. E, por causa de um acidente, não o poderá continuar a fazer. É uma pena.
httpv://www.youtube.com/watch?v=cY1i1tgAgS4

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s