Amor! Amor! Amor!

Há muitas coisas para dizer, mas não as vou dizer agora. Em vez disso, vou deixar que outras pessoas falem por mim. Estes são alguns dos últimos sublinhados que fiz.

Sexo é como futebol. É divertido, atlético e deve ser feito com amigos.
Perfil do pornstar James Deen para a GQ

Não sei que tipo de nação acaba com a arte, a música e a educação física na escola pública. Vamos ser uma nação de jovens estudantes obesos e que não sabem nada sobre arte ou música.
Spike Lee fala sobre Obama, o fim da Broklyn de Mookie e a divisão de cor em Hollywood

O Anonymous tornou-se numa cultura. Como uma máscara de plástico do Guy Fawkes, ele é uma identidade que qualquer pessoa pode assumir.
Como o Anonymous escolhe alvos, lança ataques e derruba organizações poderosas

O cinema está na sua infância. Os livros, na meia idade. As histórias em si mesmas são antigas. Mas a música é primitiva. Os livros podem preceder o comércio, mas a música precede a linguagem.
Música: o pecado original da Internet

Ler é uma capacidade da maioria, mas uma arte de minorias.
Julian Barnes: a minha vida como bibliófilo

No final, escrever é como usar roupa: fazemo-lo para contribuir para o modo como o mundo nos vê, e acabamos a revelar precisamente o que escondemos e mais, mais do que alguma vez saberemos.
As dicas de moda do meu pai

As minhas pesquisas psicotrónicas levaram-me a uma nova descoberta: um artista é um monstro que pensa que é humano.
Uma infância psicotrónica

Filmes são feitos por pessoas que se dedicam em absoluto a fazer filmes. Elas abandonam as suas vidas e negligenciam os filhos para fazer filmes sobre o valor da família.
10 Timeframes

As pessoas continuam a trabalhar num mundo freelance, e o mundo é cada vez mais freelance, porque o seu trabalho é bom, porque é fácil conviver com elas, e porque entregam o trabalho a tempo. E nem as três condições são precisas. Duas de três está ótimo. As pessoas vão tolerar seres desagradável se o teu trabalho é bom e o entregas a tempo. Elas perdoarão o atraso do trabalho se ele for bom e gostarem de ti. E nem precisas de ser tão bom como os outros se fores pontual e for sempre um prazer ouvir a tua voz.
Neil Gaiman: discurso de formatura para a Universidade das Artes

“Amor!” disse ele a cada apontar de dedo. “Amor! Amor! Amor! Amor! Amor! Amor!”
Papá: as últimas palavras do meu pai

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s